página inicial
TRALHAS NA TRILHA

 

O que levar em uma trilha, passeio na praia ou outro lugar mais afastado da civilização? Em primeiro lugar, nunca vá sozinho a lugares muito afastados, porque se houver uma pane mecânica, poderá ser bem difícil sair da enrascada! Dois ou mais buggies, equipados com cambão, ou com cabos de tração, são a garantia de que poderemos voltar para casa. Mas muito do que se pode fazer depende do que temos em nosso poder, no próprio carro. Claro, esta não é uma lista definitiva e pode ser alterada para adaptar-se a cada caso.

A propósito, o buggy aí de cima é um Menon, pertencente ao buggueiro Amadeu, de Amparo-SP. Está equipado para trilhas, inclusive com correntes para tração. Conheça-o em mais detalhes.

 
Em primeiro lugar, as coisas para o buggueiro:

Água, muita água (para o buggueiro, não para o buggy - exceto se tiver motor AP...) e alguma coisa para comer. Óbvio? mas precisa estar na lista. barras de cereais são ótimas, não ocupam espaço e não estragam;

Papel toalha/higiênico (múltiplos usos...);

Primeiros socorros - aqueles kits ex-obrigatórios, acrescentando: curativos adesivos (band aid), iodo ou similar; alguma pomada para queimadura, tesoura;

Óculos de proteção (podem ser de grau ou de sombra), porque não é agradável um inseto bater no seu olho, a 60km/h ou mais. Imagine um besouro!

Um repelente de insetos pode ser uma boa pedida, dependendo do lugar que você vá. E protetor solar fator máximo! Com vento e sol, você não percebe que está sendo fritado!

Chapéu ou boné. O melhor é o estilo australiano, pois não voa facilmente, como o boné. Calção ou maiô. E, claro, toalhas de banho. Mesmo que você não esteja na beira do mar, pode aparecer um belo arroio pelo caminho. Acondicione estas coisas em uma mochila, sempre à mão. Leve alguns sacos plásticos para colocar a roupa molhada, depois.

Botas de cano longo (couro ou borracha) podem ser uma boa, se você for para uma trilha no meio do mato ou em locais com muito barro (ou cobras...).

Luvas para o trabalho pesado. Usei de raspa de couro - de segurança - em um rally que fiz com o buggy. Protegem suas mãos se for preciso remover algum obstáculo da pista ou para algum trabalho "mais sujo". Aliás, existem uns cremes para limpar as mãos a seco, que são excelentes para fazer parte deste "enxoval".

 
Agora, para o buggy:

(ok! você não entende nada de mecânica, mas pode encontrar alguém que entenda e as ferramentas e peças poderão ajudar, certo?):

Ferramentas: macaco (sanfona ou hidráulico); pedaço de madeira para servir de apoio ao macaco em situações extremas (barro e areia); chave de rodas; chave de velas; chaves de fenda e phillips (existem umas combinadas muito boas), inclusive uma de cabo curto para regular o carburador; chaves de boca/estrela ou conjunto de soquetes (7-32mm); alicates de pressão e normal; martelo; canivete ou faca; pá/enxada desmontável. Para quem não tem um guincho, uma talha mecânica (existem umas chinesas a venda nos camelôs, com cabo de aço e capacidade de tracionar até 6t). Ocupa um pouco de espaço, mas é uma boa. Outra opção são os macacos hi-lift, que também podem ser usados como talhas; um conjunto de correntes para os pneus traseiros, se for pegar uma trilha no barro. Luizinho acrescentou algumas ferramentas a este "arsenal": calibrador manual; pequeno compressor elétrico para encher pneus;

Peças & tralhas: correia do dínamo/alternador; tampa do distribuidor; rotor; platinado; condensador; bomba de gasolina, bobina (pode ficar presa ao lado da "oficial"), pelo menos um cabo de vela e uma vela; fusíveis; pedaços de fio e arame; fita isolante (dois rolos, pelo menos); fita adesiva plástica (do tipo de fechar caixas - não crepe); cola silicone; dois litros de óleo; líquido de freio; cano plástico de combustível; cabo de acelerador; cabo de embreagem; lanterna (com pilhas!!); fósforos/isqueiro; óleo spray; corda de nylon/tira para reboque com tamanho e capacidade suficiente para rebocar seu buggy; fusíveis. Estas coisas não ocupam muito espaço, podendo ser utilizada uma caixa de ferramentas ou uma sacola de tecido resistente (faz menos barulho), embrulhando-se as peças e ferramentas separadamente, com pedaços de pano (sacos comprados em supermercados para pano de copa são excelentes e baratos). Mais algumas que o Luizinho recomenda: algumas lâmpadas, uma ou duas válvulas de pneus (com a respectiva ferramenta para retirá-las e colocá-las); Cláudio Henrique Pereira, de Natal-RN, lembrou que a graxa líquida em spray, ajuda no isolamento quando o pequeno guerreiro inventa de "tomar banho".

 

Lembre-se:
TUDO em um buggy deve estar bem preso, quando se vai para trilhas. Isto quer dizer que a bateria, extintor, ferramentas ou o que seja, deve estar bem preso para não machucar ninguém em alguma emergência. Já pensou capotar com uma bateria solta, pronta para bater em sua cabeça? Lembrou mais alguma coisa? manda prá aumentar a lista... Passou por algum "aperto" e conseguiu sair dele? conta tua história para ajudar os outros buggueiros a enfrentarem situações semelhantes.

 

No Forum do Planeta, o Luizinho coloca estas muito benvindas recomendações:

Nada mais desagradável que o buggy enguiçar durante o aquele tão esperado passeio ou viagem de final de semana ou férias! Isso ocorre quase sempre em locais desertos, em vilas de pescadores ou coisa parecida. Certa vez, fiquei das 7 da noite até às 3:30 da manhã sobre uma duna, faltando apenas 5km para chegar em Jericoacoara, Pôr causa de um platinado. Só saí depois que um bugueiro que passava perto, me arrumou o seu reserva. Houve também uma vez que socorri com uma vela de ignição, um amigo. Ele simplesmente, ao atravessar um rio, acelerou muito o buggy e uma vela menos apertada sacou e foi na correnteza. Se você tomar algumas pequenas providências, pode ficar livre disso. Ou na pior das hipóteses, sair fácil dessa situação.

Primeiro, mantenha em dia a manutenção do seu brinquedo! Periodicamente (pelo menos semestralmente) faça uma revisão e corrija os eventuais pequenos defeitos. Isso pode ser feito em uma oficina de sua confiança ou pôr você mesmo, o que sem sombra de dúvidas é muito mais barato. Só não mais divertido, para as esposas e namoradas.

Se você acha que não tem nada para olhar em seu buggy, leia a relação abaixo. Veja se você esqueceu de olhar algum desses itens: caixa de direção (sua lubrificação e seus terminais ), vazamentos de qualquer natureza (principalmente de gasolina), nível dos óleos(motor, caixa de marcha e freio), os 5 pneus (estado e calibragem), roda presa (freio), a fechadura do capô dianteiro, cilindro de ignição e a conexão (pôr trás) dos fios, lâmpadas em geral, trocador de luz (alta e baixa), pisca, regulagem das válvulas do motor, regulagem eletrônica do tempo do motor, extintor de incêndio, fios (eliminar os descascados com uma boa fita isolante de alta fusão – não desmancha com o tempo nem água salgada), canos de freio, cabos (embreagem, freio de mão e acelerador), limpeza do carburador, cabos de vela + tampa do distribuidor + rotor (devem ser medidos com multímetro), mangueiras em geral(se estiverem ressecadas e/ou com rachaduras, devem ser trocadas), o funcionamento do limpador de pára brisa e suas palhetas, elemento do filtro de ar, filtro de gasolina, documentos, placas(licenças) e seu selo (lacre), trilhos dos bancos, retrovisores, isqueiro, tampa do tanque, tampa do óleo, gerador/alternador/motor de partida, relês, fusíveis, alavanca do câmbio (trabulador, união do trabulador/garfo, bucha de nylon e chapa defletora), velas, correia, discos de freio, tambores de freio, pastilhas/lonas de freio, graxa dos rolamentos dianteiros, pressão da bomba de combustível, retentores das rodas traseiras, coifas de borrachas dos braços da caixa de marcha.

Se for rebocar, confira o aperto do engate, do reboque, da bola e o estado da tomada.

Com base nas experiências que passei ao longo de uns 10 anos, tenho e levo sempre comigo: Lanterna pequena, Cabo de acelerador, cabo de embreagem, algumas lâmpadas (todas diferente uma da outra), uma ou duas válvulas para pneu (e a respectiva ferramenta para remover e coloca-las), um calibrador manual, um muito bem vindo mini compressor (daqueles que se liga no isqueiro), chave de roda, macaco, triângulo, um conjunto de chave (boca, combinado ou anel com as medidas: 13mm, 12mm, 10mm e 8mm principalmente), uma talhadeira (de uns 15cm – confeccionada em aço (retirada de uma lâmina quebrada do feixe de mola dianteiro do fusca), chave biela 13 e 10mm, uma chave de fenda, uma chave estrela, um canivete, dois metros de mangueira para gasolina, dois parafusos de roda, um alicate de pressão, um alicate de bico, um canivete suíço, um alicate de corte, uma vareta de alumínio(aquela que liga os tuchos aos balancinhos do cabeçote, e ficam dentro das capas de tuchos – essa já quebrei duas vezes), uma capa de tucho ajustável (aquela que é confeccionada em pvc e possui uma mola para substituição sem desmontar o cabeçote) um alicate universal, um alicate de corte, um metro de fio vermelho, um metro preto (terra), uma correia, uma caixa com fusíveis variados, uma bomba de gasolina, uma peneira do óleo e sua tampa com o respectivo bujão e arruela (essa costuma ficar enganchada vez em quando nas pedras mais salientes), um platinado (se for o caso), uma tampa do distribuidor, um rotor (o modelo p/ ignição eletrônica, é diferente do modelo com platinado), uma banda de uma gillete(serve como lâmina para regular as válvulas), um jogo de velas, um módulo de ignição eletrônica, uma bobina, alguns parafusos com suas respectivas porcas e arruelas de tamanhos variados, um ou dois cabos de vela (de preferência os maiores, pois servem para todas as velas), um conjunto de chupeta (aqueles dois cabos que são usados para pescar corrente da bateria de outro carro), um diafragma do carburador, um giclê de marcha lenta (não-elétrico), um acoplador do trabulador (aquela peça que parece um disco voador e que liga trabulador do câmbio ao garfo da caixa de marcha), uma chapa defletora do câmbio (aquela chapa de metal estampada, do tamanho da palma da mão que serve de guia para a o engate das marchas), uma bóia do carburador e suas juntas, 02 juntas da tampa de válvula, 02 chaves allen (para os parafusos dos rolamentos das rodas dianteiras, tambores traseiros e calotas das rodas), uma chave soquete para o cubo traseiro e 10 metros de corda para sair e tirar gente de atoleiro

Não se assustem, apesar de ser uma lista relativamente grande, a corda, o módulo de ignição eletrônica, a bobina, o compressor, os cabos (embreagem e acelerador) e a bomba de gasolina, ficam acomodados dentro do pneu estepe. O macaco e o triângulo, na lateral do capô e todo o restante cabe em uma caixinha de pesca. Vale o sacrifício de carregar esse material, o benefício é muito maior que o custo. Acreditem, esse material elimina uma gama muito extensa de possibilidades de você ficar parado.

Se você não tem a menor noção de como substituir cada uma dessas peças, fique tranqüilo. Mesmo assim. vale a pena tê-las à mão, pois em muitos lugarejos não existem casas de peças mas existe um quebra galho em mecânica (o chamado curioso).

*Quando viajo, no lugar onde fico hospedado, mantenho ainda uma troca (2,5Litros) de óleo para as eventualidades do tipo: água dentro do motor, uma pedrada na tampa do bujão do óleo ou uma capa de tucho arrancada pôr um galho, etc.

Um abraço do Luizinho