Buggies do Sérgio Lima
inserido no site em 13/04/2003

Blumenau 22/03/2003

Sou de Fortaleza(CE), mas moro em Blumenau(SC) há seis anos e desde pequeno sou louco por buggies. Aprendi a gostar de buggy com meu pai que até seu falecimento tinha um buggy Fyber ano1984, cor ouro.

Quando pequeno, assistia uma novela e não perdia um só capítulo, porque nesta novela aparecia um ator andando de buggy da marca BRM, conhecido como olhos de sapo, pois seus faróis são externos.Não me lembro qual o nome desta novela, pois já fazem uns quinze anos.

Quando completei 16 anos meu pai me deu um buggy Fyber, ano 1984, usado, cor amarela e foi o momento mais alegre da minha vida porque sonhava em ter um buggy mas como não tinha carteira de motorista só podia dar algumas voltas dentro de um sítio de propriedade do meu pai, mas para mim já era muito importante, pois tinha meu próprio carro para lavar e cuidar.

Depois de um tempo meu pai colocou uma loja e me deu esta loja e como parte do pagamento para ele tive que dar o meu buggy e assim começou a minha vida de adulto. A partir daí comecei a entender que estava crescendo e tive que fazer minha primeira escolha: meu buggy ou uma loja para meu futuro. Como um adulto, decidi ter uma loja para com ela poder ganhar dinheiro e poder comprar outros carros. Fiquei muito triste quando entreguei a chave de meu buggy para o comprador que tambem pediu o som do veiculo emprestado, pois na venda eu não tinha deixado o som que sonhava em colocar em outro buggy asim que ganhasse dinheiro.

Depois de dois meses meu pai me presenteou com outro carro (um Passat GTS tipo exportação) e falou que como adulto eu teria um carro fechado para ter mais responsabilidade e que logo esqueceria esta fase de buggy.Dois anos depois eu pude comprar meu segundo buggy, pois não parava de pensar em andar sentindo o vento no rosto e subir dunas nas praias mais lindas do meu Ceará. Então comprei, com meu dinheiro, um buggy Fyber cor verde ano 1990, com todos os acessórios que tinha na época. Foi uma maravilha, porque tinha comprado algo com meu trabalho e poderia desfrutá-lo com total liberdade, já que tinha carteira de habilitação e o buggy agora era meu de verdade, comprado com fruto do meu trabalho.

Achei que nunca mais deixaria de ter meu buggy!!! Logo coloquei um som com caixas pesadas que dava para escutá-lo de bem longe sem falar do barulho do motor que tinha um cano de escape sem miolo para fazer bastante barulho.

Depois de alguns meses conheci uma namorada (que hoje é minha esposa), mais infelizmente ela não gostava de praia e muito menos de sol,então decidi que o melhor seria trocar meu buggy por um carro fechado e o troquei por um lindo Comodoro, todo completo 6 cilindros. Fiquei apaixonado pelo carro. Adorava velocidade e o Opala era muito ligeiro. Achei que minha paixão por buggy havia chegado ao fim. Mas, com o passar do tempo, algo me faltava quando olhava as pessoas indo para as praias de buggy. Decidi que teria mais um carro em casa. Comprei um Chevette zero, ano1993 e dei para minha esposa e comprei um Apolo ano 1990 completo para mim. Depois de um ano troquei o Apolo por um Fyber Star zero (ano de1994). Fiquei muito feliz e pela primeira vez teria um buggy zero com computador no painel, som completo, porta copos e um isopor térmico embutido na parte traseira do veículo.

Resumindo: era um sonho. Mas meu veículo se tornou um pesadelo, pois saiu de fábrica com todas as rodas tortas e o dono da Fyber alegava que eu teria que fazer uma cambagem para ele ficar bom, mas nada adiantava!!! Onde já se viu comprar um carro zero e ter que ir para oficina??? Depois de muita briga decidi que não valeria a pena brigar e vendi o carro. Comprei um Escort zero do ano de1994 e disse para mim mesmo que não iria mais comprar buggy, mas o Escort zero também saiu com defeito de fábrica e passava a maior parte na autorizada do que comigo. Decidi vender o carro e para minha surpresa um rapaz me ligou oferecendo em troca dele um Fyber ano1985 e o restante em dinheiro.Logo que vi o buggy de cor vermelha todo original fiquei encantado.Ainda bem que ele não notou, pois eu queria aquele buggy de qualquer maneira. Depois disso tive vários outros buggys como o BRM e até um Gamo que está na foto mas com o passar do tempo tive que ir embora para Blumenau-SC e tive que vendê-lo, pois não tinha como levar para Blumenau pois os fretes eram muito caros.

Os anos se passaram e em 2001 estive em Fortaleza. Meu pai estava muito doente e tinha ainda seu buggy fyber ano1984. No hospital eu brincava com ele e falava: "Pai,quando você sair, vamos pegar seu buggy e andar pelas praias para passear, e ele dizia que sim mas eu tive que voltar para Blumenau, pois minhas férias haviam acabado e não tive a oportunidade de andar com ele na praia. Logo que cheguei em Blumenau das férias, meu pai faleceu. No final do ano de 2002, fui à Fortaleza de carro (um Celta 1.0, básico), ver como estava minha mãe e meus irmãos e também fazer uma visita ao túmulo do meu pai, mas fiquei muito triste pois meus irmãos abandonaram o buggy que meu pai tanto gostava em um terreno abadonado. Ele estava cheio de formigas e restos de comida que pessoas que passavam pelo terreno jogavam. Sua pintura estava toda queimada. No tanque de combustível havia pedras que as crianças jogavam!!!

Falei com minha mãe e ela disse que se eu ajeitasse o carro e pagasse as partes de meus irmãos, ela daria para mim a sua parte do carro que representava a metade do veículo. Então fiquei mais do que alegre, pois tinha acabado de adquirir o buggy que era do meu pai! Seria uma ótima lembrança, mas tinha um problema: como levá-lo para Blumenau?? De Fortaleza para Blumenau são 3.725km. Comecei a procurar uma transportadora mas todas eram muito caras, então pensei em colocar um reboque no meu Celta e rebocar até Blumenau. Todos diziam que meu Celta não iria chegar em Blumenau com três passageiros mais as bagagens e o buggy atrás, porque seu motor quebraria. Mesmo assim decidi rebocá-lo até Blumenau. Graças a Deus, tive uma viagem perfeita e não tive problemas nem com a polícia rodoviária. Eles nos paravam e pediam os documentos dos dois veículos e nos desejavam boa sorte. Acho que nem eles acreditavam no que estavam vendo, mas já fazem quatro meses que estou em Blumenau e faria tudo de novo para ter meu buggy comigo. Até coloquei um nome no buggy, que é Petrúquio em homenagem a meu pai que adorava a novela do cravo e a rosa.

Estou enviando as fotos de meus buggys. Breve mandarei a foto do Petrúquio (buggy), pois ainda não tive a oportunidade de bater uma foto.

Um abraço para todos os bugueiros, de coração:
Lima

     
O primeiro buggy do Sérgio, O Fyber´89
O Fyber´90, comprado com a grana da loja...
   
Este é um Gamo´89, que ainda hoje pertence ao irmão do Sérgio
 
 
 
 
BRM´85, que foi trocado pelo Escort
 
 
O Sérgio é o que pode ser classificado como um buggueiro insistente!!!
 
Volta para a página do Fyber
[Página Inicial] [Clássicos] [Extintos] [Forum do Planeta] [Contato]