Buggy Menon
Amadeu Zullino - SP
atualizado em 19/08/2007
Esta página não tem ligação com o fabricante deste veículo

Uma atualização importante:

Meu Buggy está com novo visual e continuo percorrendo semanalmente as trilhas da região serrana de Amparo. Aqui estão algumas fotos. A cor é amarelo-mostarda, fosco e os bancos e o estepe estão encapados com tecido camuflado. Eu peguei a idéia em algumas fotos que encontrei na internet a  respeito do VW tipo jeep e denominado Kubelwagen - apenas um pouco mais de meio século atrás! O pessoal achou que o carrinho ficou com aparência mais "brava", parecendo um veículo de selva, porém a mecânica basicamente é a mesma (VW 68 e motor 1200).

Amadeu Zullino
azullino@terra.com.br

No primeiro contato, Amadeu contava sobre seu buggy:

Meu Buggy passou por alguns melhoramentos inclusive o cambão. Este é dobrável e está preso nesta posição por uma corda de nylon forte e também por um sistema de parafuso e borboleta. Nunca escapou e nem vai escapar. É realmente muito seguro. Atualmente puxo meu Buggy com uma Toyota Hillux. (veja em detalhes esta experiência). Não tenho tido problemas para tracionar meu Buggy e nem para descer ladeiras ou serras, mas é claro que eu vou sempre dirigindo com prudência. Adoro meu Buggy. É o melhor relax que eu conheço.

Tenho meu Buggy há quase 10 anos. Bem, antes disso, eu tive uma moto XLX-250 Honda, mas por pouco tempo porque embora fosse agradável eu achei que motocicleta era uma coisa muito perigosa e preferi trocar por um Jeep Willys Overland 1968. Mas a manutenção do Jeep era complicada, cara e as peças precisavam ser compradas em São Paulo (por um preço nada agradável) ou então garimpadas em ferro-velho (uma tarefa difícil, demorada e sem muita garantia de qualidade). Algumas oficinas achavam que, por ser Jeep velho, o serviço poderia ser feito de qualquer jeito! Além disso, o Jeep era guloso demais por gasolina, muito duro de direção, câmbio e suspensão e eu e minha esposa estávamos pouco confortáveis com ele (ela é ótima motorista). Após 3 anos de dificuldades, aborrecimentos, despesas e pouco lazer nós decidimos nos desfazer do out-to-date Jeep. Mas eu devo reconhecer que não dá para comparar Jeep com Buggy, mesmo sendo um MudBuggy. Afinal o Jeep tem uma capacidade de tração muito grande e o Buggy nem chega perto. Porém para vencer atoleiros eu acho que meu MudBuggy é melhor. Mesmo por que, se você encalhar o Buggy é só puxar com uma corda, um carro ou 2-3 pessoas. Se o Jeep encalhar é uma barra. É muito pesado e precisa tracionar com um caminhão, ou trator e muita gente para lhe ajudar. Jeep moderno é realmente bom, embora seja muito caro e eu penso que deve ser usado por quem necessita de um veículo valente para off-road e com grande capacidade de tração. Para quem deseja apenas um carrinho para se divertir o Buggy é mil vezes melhor, mais prático e muito mais barato. Por acaso minha esposa viu num estacionamento o Buggy Menon e me avisou. Fomos juntos até lá e logo percebemos que era o veículo que precisávamos, de fácil manutenção (VW) e realmente prazeroso . Desde então recomendo o Buggy para todos os meus amigos.

Meu Buggy foi montado em 1988 sob um chassis de VW 68. Tem motor 1300 e mecânica VW convencional. A suspensão está um pouco elevada e uso 2 pneus Scorpion nas rodas traseiras (aro 15) e 2 pneus contry&town na frente (aro 14). Isto confere ao meu Buggy uma boa performance no barro, mas na areia fofa o seu desempenho é sofrível. Como moro numa região montanhosa optei por ter um Buggy apto para vencer as trilhas de minha terra. Atualmente ele está com uma pequena capota de chapa, que protege bastante do sol, mas não da chuva. Tem o cambão na frente, engate na traseira, estepe e caixa de ferramentas sobre a capota, um jogo de correntes para os pneus traseiros (só para vencer atoleiros bravos), 2 extintores de incêndio, 50 metros de corda de nylon, pá, machado, etc. Já sou homem de meia idade (53) e não me aventuro mais como antes, mas meu Buggy nunca me deixou na mão. Às vezes ele puxa uma carreta Karman-Ghia. Os tubos de sustentação da capota (Santo Antonio) estão reforçados por dentro com vergalhões de aço, aparafusados na suspensão dianteira e traseira . Raramente viajo a mais de 80-90 km/h porque como o parabrisa é muito alto e quase perpendicular, o vento faz vibrar o carrinho e me incomoda. No meu Buggy tudo funciona: limpador de parabrisa, faróis, lanternas, setas, marcador de gasolina, etc. Tem macaco, chaves, triângulo, extintor (2), luz de emergência, ferramentas, etc. Não vendo, não dou e não empresto, mas deixo os amigos darem uma boa volta. Você está convidado. (OBA!)

 
 
As primeiras fotos que o Amadeu mandou para o Planeta, mostram o equipamento que ele usa em trilhas. Este buggy não anda em praias, mas gosta de um barro!
Em 2007, ele mandou mais algumas fotos com a nova "cara" do buggy. Ficou muito bom, mesmo! Parabéns, Amadeu!

Vai pra a página do Menon
O uso deste site e seu conteúdo subentende o conhecimento das "Políticas de Uso"
Apoiando buggueiros desde 1999 - by planetabuggy